HOME > ARTIGOS

Os exercícios dentro da água


  Envie esta página a um amigo
 
Untitled Document

A atividade física e o contato com a água sempre se constituíram em uma combinação ideal para a saúde e o bem estar. Pode-se dizer que se constitui em um consenso a idéia de que a natação é o esporte mais saudável e mais completo.

Entretanto, apesar de ser extremamente saudável, a natação é um esporte que requer todo um processo de aprendizado e aperfeiçoamento, sendo que muitas vezes torna-se difícil, principalmente após uma certa faixa etária, adquirir a coordenação de movimentos para nadar bem.

Quando o indivíduo não consegue aperfeiçoar a técnica para nadar de maneira eficiente, torna-se muito difícil fazer da natação uma atividade aeróbia, ou seja, de intensidade moderada e longa duração.

Foi portanto a partir desse princípio que surgiram formas alternativas de combinação entre a atividade física e a água. A hidroginástica passou a ser uma alternativa cada vez mais procurada, à medida que possibilita a realização de exercícios de intensidade moderada utilizando o empuxo da água como resistência. O aspecto lúdico do contato com a água é ainda intensificado à medida que os movimentos são feitos ao som de músicas cujo ritmo marca a intensidade dos exercícios.

Mais recentemente surgiu uma outra alternativa para os exercícios aquáticos. Para que se possibilite o movimento de andar ou correr deslocando-se dentro da água, foi concebido um colete de flutuação. Com esse equipamento, o indivíduo pode usar o empuxo da água para se deslocar, flutuando na posição ereta sem tocar o fundo da piscina.

Esta técnica batizada de "deep-running" tem sido ultimamente muito utilizada tanto para reabilitação física quanto para condicionamento. Essa forma de exercício torna-se muito atrativa principalmente para as pessoas que por alguma razão precisam evitar ou atenuar o impacto contra o solo das formas mais convencionais de exercícios. O importante é que haja um controle adequado de sua indicação, e principalmente uma orientação do ritmo ideal de tolerância.

É também importante ressaltar que os exercícios como o "deep-running" não são eficazes para prevenção da osteoporose nas pessoas mais idosas, uma vez que a sustentação do peso corporal é um fator importante para fortalecer os ossos.

 

Prof. Dr. Turibio Leite de Barros Neto


Voltar